domingo, 17 de agosto de 2008

De repente, não mais que de repente

Compromissos selados. Férias doadas. Levantar junto com o sol. O frio. Atrasos constantes e indesejáveis. Justificativas. Prioridades. O café travando na língua. As dores pelo corpo. Joelhos carimbados. Calos abertos. Eu e mais alguém. Ninguém mais. Todos lá. Eu aqui. Ainda assim me roubavam as noites. E eu reconheço cada cheiro, cada passo, cada inspiração, cada voz tentando desesperadamente se impor sobre a outra. Mágoas imaturamente adquiridas. Sempre há uma nuvem levemente cinza sobre as nossas cabeças. Tudo no papel. Nada nas mãos. Chegaram e arrancaram as nossas unhas com a desculpa de que ainda tínhamos os dedos. É que esses 30 dias não se refletiram nesses últimos 3. Todas aquelas perguntas que não sabiam se desejavam realmente uma resposta... Sempre havia um interesse malévolo ao se aproximarem. Mãos por toda parte. O frio. O frio. O frio.O frio.O frio.O frio.O frio.O frio.O frio.O frio.O frio.O frio.O frio.O frio.O frio.O frio.O frio.O frio.O frio.O frio.O frio.O frio.O frio.O frio.O frio.O frio.O frio.O frio.O frio.O frio. Água gelada pra aquecer. É que eles se interessam mais pelo que está embaixo da roupa, da pele, do osso. Eles querem sangue mas têm vergonha de admitir. Tudo o que foi dito perdeu-se na ventania que o mar soprava. Eu não consegui espalhar gargalhadas por lá. Ainda bem que o céu chorou por mim. Talvez a velocidade que pensamos estar seja apenas uma ilusão.

3 comentários:

Anônimo disse...

música e energia numa mesma frase idiota, qual dos dois eram eles?, qual dos dois éramos nós?, o tempo se condensa e o tamanho das pequenas coisas que restam quando o mar recua às vezes não se parece com nada.

além de cansaço e alguns cigarros molhados.

Yuri disse...

Acho que o céu chorou por todos nós naquele momento.
O céu chorou e eu gritei.


Tem dias em que me cai a ficha do que a gente foi capaz de fazer.
E vai continuar fazendo. E fazendo.
E fazendo.

ChrystineSilva disse...

Eu dancei, como em nenhum outro momento eu dancei.
As lágrimas caiam, minhas ou não.
A chuva lavou meus pés machucados pelo que eu insisti em fazer.
Dor, água, calos, mas nada de sangue. Naqueles dias sangrei por dentro.